Bancos Centrais sobem taxas de juros em sincronia para domar pressões inflacionárias

Pedro Augusto Flores 23 de Agosto, 2022

Durante a pandemia, os bancos centrais das economias de mercado avançadas e emergentes tomaram medidas sem precedentes para aliviar as condições financeiras e apoiar a recuperação econômica, incluindo cortes nas taxas de juros e compras de ativos.

Com a inflação em máximas de várias décadas em muitos países e as pressões se estendendo além dos preços de alimentos e energia, os formuladores de políticas se voltaram para políticas mais rígidas. Como mostra nosso Gráfico da Semana , os bancos centrais em muitos mercados emergentes começaram a aumentar as taxas de forma proativa no início do ano passado, seguidos por seus pares nas economias avançadas nos últimos meses de 2021.

O ciclo da política monetária está agora cada vez mais sincronizado em todo o mundo. É importante ressaltar que o ritmo de aperto está se acelerando em vários países, principalmente nas economias avançadas, em termos de frequência e magnitude dos aumentos das taxas. Alguns bancos centrais começaram a reduzir o tamanho de seus balanços, avançando em direção à normalização da política.

Preços estáveis ​​são um pré-requisito crucial para o crescimento econômico sustentado. Com os riscos para as perspectivas de inflação inclinados para o lado positivo, os bancos centrais devem continuar a normalizar para evitar que as pressões inflacionárias se enraízem. Eles precisam agir resolutamente para trazer a inflação de volta à sua meta, evitando um desencorajamento das expectativas de inflação que prejudicaria a credibilidade construída nas últimas décadas.

A política monetária não pode resolver os gargalos relacionados à pandemia nas cadeias de suprimentos globais e interrupções nos mercados de commodities devido à guerra na Ucrânia. No entanto, pode desacelerar a demanda geral para lidar com as pressões inflacionárias relacionadas à demanda, de modo que o objetivo é o aperto das condições financeiras.

A alta incerteza que obscurece as perspectivas econômicas e de inflação dificulta a capacidade dos bancos centrais de fornecer orientações simples sobre o futuro caminho da política. Mas uma comunicação clara por parte dos bancos centrais sobre a necessidade de apertar ainda mais a política e as medidas necessárias para controlar a inflação é crucial para preservar a credibilidade.

A comunicação clara também é fundamental para evitar um aperto acentuado e desordenado das condições financeiras que podem interagir e ampliar as vulnerabilidades financeiras existentes, colocando em risco o crescimento econômico e a estabilidade financeira no futuro.


Fonte: FMI

Compartilhe

Facebook
Instagram
Whatsapp
Telegram


Oua "Dado Mercantil".

FECHAMENTO DE MERCADO - 30/09/2022

Jacson Boing 30 de Setembro - 2022

FECHAMENTO DE MERCADO - 29/09/2022

Jacson Boing 29 de Setembro - 2022

Ibovespa opera em queda

Pedro Augusto Flores 29 de Setembro - 2022

Os preços do petróleo

Pedro Augusto Flores 01 de Agosto - 2022